Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O QUE CORRE MAL NO FCPORTO?

por Os Betolas, em 05.02.14

 

 

Nas últimas quatro temporadas Pinto da Costa lançou 3 jovens treinadores, todos eles no início da sua carreira futebolística como treinadores principais e todos eles a tentar estabelecer um estilo de jogo próprio. Desses três, André Villas Boas foi sem dúvida o mais marcante. O Porto tornou-se uma equipa dominadora, mandava em todos os sectores do jogo, asfixiava o adversário e o resultado era um futebol harmonioso e fluído. Além disso, Villas Boas trouxe uma raça e uma dedicação que muito provavelmente não víamos desde os tempos de José Mourinho e passava isso mesmo aos jogadores. Éramos invencíveis, capazes de vencer qualquer adversário ou virar qualquer eliminatória. Depois da sua saída, Pinto da Costa optou por apostar na continuidade. Vítor Pereira tinha sido adjunto de André Villas Boas e estava mais que familiarizado com a equipa. Pensámos que o Porto ia manter-se mas tal como qualquer treinador que se está a estabelecer, Vítor Pereira queria também dar o seu toque à equipa. O futebol do Porto perdeu a beleza e a harmonia, mas ganhou posse de bola e segurança defensiva e quer se goste ou não, Vítor Pereira foi Bicampeão e perdeu apenas um jogo em dois anos. Apesar disso, a sua relação com os adeptos nem sempre foi a melhor e o facto de ser um péssimo comunicador, foi sempre um entrave ao seu sucesso no clube.

 

Surgiu então Paulo Fonseca. Tal como os dois anteriores, estava a dar os primeiros passos como treinador principal, tinha colocado o Paços de Ferreira nas competições europeias e potenciou vários jogadores da sua equipa, praticando um futebol ofensivo e agradável. Parecia que tínhamos tudo para fazer uma excelente temporada. O Porto estava a movimentar-se bem no mercado, algumas exibições dos reforços entusiasmavam os adeptos e a forma como Paulo Fonseca falava cá para fora era claramente diferente de Vítor Pereira. Tínhamos finalmente um treinador que era um excelente comunicador. A inversão do triângulo no meio-campo dava a sensação que tinha como evoluir e mesmo com a saída de jogadores influentes como James e Moutinho, a entrada de Quintero e de Herrera pareciam suficientes para, num futuro próximo, colmatar a saída dos dois primeiros. Passada meia época o balanço não poderia ser pior. O Porto é terceiro, está fora da Liga dos Campeões, pratica um futebol sofrível e sem ideias, deixou sair Lucho Gonzalez e Otamendi, que até então era uma dos patrões da nossa defesa, está dispensado. Temos dois laterais que por não terem concorrência estão completamente acomodados, temos falta de extremos, tendo na equipa apenas Varela e Quaresma e contratações como Ghilas, Quintero e Herrera teimam em não acertar com a equipa. Olhamos para a frente, e temos medo do que poderá trazer o final da época.

 

Não atribuo apenas a culpa a Paulo Fonseca. Parece-me óbvio que há muita responsabilidade por parte da SAD. A equipa foi mal planeada, foi gasto demasiado dinheiro em jogadores que são apenas alternativas aos habituais titulares e o "caso Otamendi" está claramente a ser mal gerido. Para além disto, Lucho Gonzalez devia ter sido persuadido a ficar e o "caso Fernando" foi arrastado durante demasiado tempo.

 

Haverá ainda tempo para dar a volta? Acho que não, são demasiados problemas a resolver. O mais fácil seria contratar já um treinador e coloca-lo a preparar a nova temporada, mas sabemos perfeitamente que não é assim que as coisas funcionam no reino do Dragão. Resta-nos esperar para ver...

 

JDuarte - O Betola Portista

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



O NOSSO PORTO

16601876_QEy0O

Os Betolas

foto do autor


Estamos a Seguir

Seguimos


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D